Terça-feira, 13 de Outubro de 2009

Refuga

   

 

Amar ou não amar… Eis a questão? Num mundo a cair aos bocados, miúdos com armas, olhos raiados de sangue, Bagdad sem Sherazade… Mas somos apenas homens e mulheres, somos apenas rapazes, apenas raparigas. Subimos às árvores.

Olhamos os telhados da cidade, silenciosos e solitários. Amamos.

É possível esquecer o passado? Mesmo que esse passado tenha onze anos… não importa. Estamos aqui, correndo pelos passeios. E dos passeios crescem flores.

Inserido no projecto Panos – Palcos novos, palavras novas… - Refuga (Fugees) da escritora inglesa Abi Morgan, fala-nos da situação dramática de milhares de crianças que todos os anos chegam a uma das Romas contemporâneas – Londres – na esperança de encontrarem vida mais digna, fugindo dos terrores nada mundanos mas do mundo em que vivemos: Hassan ou Roza, fugindo das bombas que caem como chuva na cidade das mil e uma noites; Chang, vindo de outra cidade com mil anos, na China, transportado num contentor onde a própria mãe fenece - carne para canhão!?; Tanto sofrimento…Esta é a sua estória: menino de onze anos, família assassinada, tornado soldado, máquina de morte. É possível sonhar? Sim, Kodjo sonha e faz-nos sonhar. Por vezes com terríveis visões, outras com simples árvores, “l’arbres” da sua côte d’Ivoire quente e luminosa…

É uma estória que assistimos hoje. Actores e actrizes neste Portugal, contando a estória de muitos outros actores e actrizes num outro palco a que o grande bardo inglês chamava o Grande Palco do Mundo…“Brave new world”! E bravas e novas são estas crianças e jovens que desejam uma vida nova, uma Terra mais feita de Paz. Sonhamos com elas. O seu silêncio é Luz.  

 

Rui Mário, Rio de Mouro, Maio 2009

 

 

O Grupo de Teatro da Escola Secundária de Leal da Câmara – o Teatro Reticências – apresenta:

 

 

REFUGA

 

De Abi Morgan

 

Encenação de Rui Mário

 

 

Sábado, 17 de Outubro às 21h30

Domingo,18 de Outubro às 17h00

Auditório do Centro Comunitário Paroquial de Rio de Mouro


 

Ficha Técnica e Artistica

 

Texto: Abi Morgan | Tradução e adaptação: Francisco Frazão | Encenação: Rui Mário | Música Original: Alexandre Ferreira | Idealização Cenográfica: Rui Mário | Figurinos: Teatro Reticências | Desenho de Luz: Fábio Ventura | Elenco: Ângela Marques, Bárbara Carlos, Beatriz Darame, Catarina Delgado, David Severino, Fábio Ventura, Francisco Vicente, Inês Frias, Inês Pereira, Luís Francisco, Mafalda Pinto, Mário Miranda, Marta Barata, Miguel Tomás, Nuno Oliveira, Olavo Silva, Tânia Pires | Sonoplastia: Alexandre Ferreira | Bárbara Carlos | Rui Mário | Captação e edição de Som: Fábio Ventura | Luminotecnia: Fábio Ventura | Gonçalo Africano | Rui Mário | Apoio à Montagem: David Severino | Miguel Tomás | Olavo Silva | Grafismo e Fotografia: Catarina Trindade | Meios Técnicos: Teatro Tapafuros | Comunicação, Promoção e Web: Fábio Ventura | Logótipo: João Vicente (criação) | Joana Martins (restauro) | Professores Responsáveis: Fátima Monteiro | Manuel Alves | Manuela Martins | Produção Executiva: Fábio Ventura | Fátima Monteiro | Rui Mário | Assistência de produção: Ângela Marques | Olavo Silva |

Agradecimentos Especiais ao Elenco Inicial: Alexandre Ferreira, Ana Trindade, Catarina Gonçalves, Filipa Tobias, Filipa Vasconcelos, Francisco Fernandes, Joana Lopes, Raquel Barata, Raquel Pêgo, Tiago Santos | Agradecimentos: António Alpande, Carlos Vasconcelos | Centro Paroquial de Rio de Mouro | Conselho Executivo Escola Secundária de Leal da Câmara | Junta de Freguesia de Rio de Mouro | Marco Martin | Marco Silvestre | Rita Neves | Rosário Barras | Aos pais e às mães!


Apoios: Escola Secundária de Leal da Câmara | Teatro Tapafuros | Culturgest | Byfurcação - Associação Cultural | Teatro a Oficina

 

 

Espectáculo aconselhado para M/12

 

Duração aprox: 50 minutos, sem intervalo

 

Entrada Gratuita.


reticências preenchidas por teatroreticencias às 09:08
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|
Domingo, 9 de Julho de 2006

Historial do Teatro Reticências

O Teatro Reticências nasceu no ano de 1995 com o objectivo de dar continuação ao trabalho realizado pelos grupos TapaFuros e Parte II. Sempre constituído por alunos da escola, o Teatro Reticências tem, desde então, em cada ano lectivo, apresentado o seu trabalho à comunidade escolar e participado, diversas vezes, em iniciativas dinamizadas pela Câmara Municipal de Sintra, pela Culturgest e pelo Grupo de Teatro Tapafuros.

 

Assim, em 1995, representou as peças O Conde Drácula, República e Dactilógrafas; em 1996, levou a cena Antes de Começar... Depois de Terminar, de Almada Negreiros; Alguém Terá de Morrer, de Luís Francisco Rebelo,e excertos da peça Falar Verdade a Mentir, de Almeida Garrett, foram os trabalhos apresentados em 1997; em 1998, Rei de Helíria, de Alice Vieira, foi a peça escolhida; em 1999, o grupo encenou as peças Vestido de Noiva e 2000 Nunca Esteve Tão Longe, a primeira da autoria de João Gaspar Simões e a segunda da autoria do grupo; em 2000 Médico à Força, de Molière, foi a peça apresentada pelo Teatro Reticências; Chá de Lua com Mel, criação colectiva com textos de Alexandre O'Neill, Mário Henrique Leiria e Fernando Lemos e As Aventuras de João Sem Medo, de José Gomes Ferreira foram os trabalhos apresentados em 2001 e 2002, respectivamente. Em 2003, além da participação em actividades na escola, o grupo apresentou no final do ano lectivo a peça Previsão de Tempo para Utopia e Arredores(textos de Charles Simic, Baltazar e actores). Em 2004, Estorinhas Sonhadas foi a peça apresentada, desta vez para um público infantil, com base em contos tradicionais. Em 2005, o grupo apresentou Suburbia Play Time, de Gil Costa (antigo membro do grupo). No País dos Chapéus, da autoria do grupo, e O Segredo de Chantel, de Hélia Correia foram as peças apresentadas em 2006. Com a primeira, o grupo participou na 14ª Mostra de Teatro das escolas de Sintra e com a segunda no projecto PANOS, dinamizado pela Culturgest. Neste último projecto participou também em 2007 com Copo Meio Vazio, de Alexandre Andrade e em 2008 com Escudos Humanos, de Patrícia Portela, peça que mereceu uma reportagem alargada da sua preparação que consta da edição nº795 da revista Visão. Escudos Humanos subiram, neste ano, aos palcos do Grande Auditório da Culturgest em Lisboa e do Centro Cultural Vila Flor em Guimarães. Ainda com esta peça, o grupo participou no Festival de Segundo Teatro em Mem Martins. Ainda no ano de 2008, alguns membros do Teatro Reticências integraram o elenco de Folia – Tu És Isso, espectáculo volante nos jardins da Quinta da Regaleira, levado a cabo pelo Teatro Tapafuros, integração essa que se repetiu em 2009 com a participação de alguns membros do grupo de Teatro Reticências em A Tempestade, outra produção do Teatro Tapafuros. Ainda em 2009 o Teatro Reticências participou, pelo 4º ano consecutivo, no projecto Panos e visitou novamente o Centro Cultural Vila Flor em Guimarães, desta vez com o espectáculo Refuga de Abi Morgan. 

Além de todos estes trabalhos, o Teatro Reticências tem colaborado em vários projectos da Escola, nomeadamente, em sessões de poesia, sensibilização para diversas problemáticas e festas de Natal.

 

 


reticências preenchidas por teatroreticencias às 23:50
link do post | comentar | favorito
|

...

procurar nos Retis

 

Dezembro 2009

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
21
22
23
25
26

27
28
29
30
31


recentes

Refuga

Historial do Teatro Retic...

na caixinha

Dezembro 2009

Outubro 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Outubro 2008

Setembro 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Agosto 2007

Junho 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

palavrinhas

todas as tags

Música

blogs SAPO

subscrever feeds